quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS

INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS
  • Objetivo

Caracterizar os principais instrumentos de coleta de dados: Revisão bibliográfica, Observação, Entrevista e Questionário.


Coleta de dados

  • É preciso definir o problema da pesquisa.
  • O que eu quero saber?
  • Qual a população envolvida?
  • Como vou conseguir as informações?
  • Que tipo de análise quero realizar?

Instrumentos de coleta de dados

  • Dados primários: coletados diretamente dos sujeitos para a consecução dos objetivos e/ou

  • Dados secundários: que já sistematizados, servem de subsídios para o esclarecimento do problema de pesquisa.


Instrumentos de coleta de dados

  • A escolha técnica ou procedimento a ser utilizado para obtenção de informações essenciais a respeito do problema, relaciona-se diretamente aos objetivos da pesquisa e ao tipo de abordagem que o pesquisador se propõe a fazer, seja ela qualitativa ou quantitativa


  • Revisão bibliográfica:
  • Livros, Periódicos, Teses, de anos mais recentes (últimos anos – dependendo da área)
  • Sistema “Bola de Neve”- revisão das referências mais utilizadas no País e em outros contextos
  • Identificação dos autores clássicos em áreas específicas (os mais citados por outros autores)
  • Temáticas pouco pesquisadas – iniciar por temas afins e conversar com especialistas
É uma técnica de coleta de dados para conseguir informações e utiliza os sentidos na obtenção de determinados aspectos da realidade.

Não consiste apenas em ver e ouvir, mas também em examinar fatos ou ferramentas que se deseja estudar.

A observação ajuda o pesquisador a identificar e a obter provas a respeito de objetivos sobre os quais os indivíduos não tem consciência, mas que orientam seu comportamento.

OBSERVAÇÃO

TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS



TIPOS DE OBSERVAÇÃO

Na investigação científica são empregadas várias modalidades de observação, que variam de acordo com as circunstâncias.

Segundo os meios utilizados:

  • Observação não estruturada: é a que se realiza sem planejamento e sem controle anteriormente elaborados, como decorrência de fenômenos que surgem de imprevisto.
  • Observação estruturada: é a que se realiza em condições controladas para se responder a propósitos, que foram anteriormente definidos. Requer planejamento e necessita de operações específicas para o seu desenvolvimento.


Segundo a participação do observador:

  • Participante: consiste na participação real do pesquisador com a comunidade ou grupo.

Em geral são apontados duas formas:

  • Natural - o observador pertence à mesma comunidade ou grupo que investiga.
  • Artificial - o observador integra-se ao grupo com a finalidade de obter informações.
  • Não participante: o observador toma contato com a comunidade, grupo ou realidade estudada, mas sem integrar-se a ela - permanece de fora.
PONTOS À SEREM CONSIDERADOS NA OBSERVAÇÃO ESTRUTURADA

Para que observar

Por que observar

Como observar

O que observar

Quem observar

ENTREVISTA

É um encontro entre duas pessoas, a fim de que uma delas obtenha informações a respeito de determinado assunto, mediante uma conversação de natureza profissional.


TIPOS DE ENTREVISTAS

  • Estruturada: é aquela em que o entrevistador segue um roteiro previamente estabelecido.
  • Não estruturada: o entrevistado tem liberdade para desenvolver cada situação em qualquer direção que considere adequada.
  • Painel: consiste na repetição de perguntas, de tempo em tempo, às mesmas pessoas, a fim de estudar a evolução das opiniões em períodos curtos.
Entrevista
  • Pré-teste

    Procure realizar uma entrevista com alguém que poderá fazer uma crítica de sua postura antes de se encontrar com o entrevistado de sua escolha.




MEDIDAS EXIGIDAS PARA A PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

  • Planejamento da entrevista
  • Conhecimento prévio do entrevistado
  • Oportunidade da entrevista
  • Condições favoráveis
  • Contato com líderes
  • Conhecimento prévio do campo
  • Preparação específica

QUESTIONÁRIO

É um instrumento de coleta de dados constituído por uma série ordenada de perguntas, que devem ser respondidas por escrito e sem a presença do entrevistador.


CUIDADOS NO PROCESSO DE ELABORAÇÃO

  • Conhecer o assunto
  • Cuidado na seleção das questões
  • Limitado em extensão e em finalidade
  • Codificadas para facilitar a tabulação
  • Indicação da entidade organizadora
  • Acompanhado por instruções
  • Boa apresentação estética
Instrumentos de coleta de dados
  • Questionário
  • Carta Explicação

    A Carta Explicação deve conter:

    – A proposta da pesquisa;
    – Instruções de preenchimento;
    – Instruções para devolução;
    – Incentivo para o preenchimento e;
    - Agradecimento.

Características básicas
  • Estrutura perguntas simples, claras e não constrangedoras.
  • Perguntas não devem ser tendenciosas.
  • Não incluir número excessivo de perguntas.
  • Possibilidade de quantificação quando necessário análise estatística dos dados.


CONSTRUÇÃO DO QUESTIONÁRIO

Consiste em traduzir os objetivos da pesquisa em perguntas claras e objetivas.

TIPOS DE QUESTÕES

  • Aberta: são as que permitem ao informante responder livremente, usando linguagem própria e emitir opiniões.

Entretanto, apresenta alguns inconvenientes:

  • Dificulta a resposta ao próprio informante, que deverá redigi-la.
  • O processo de tabulação.
  • O tratamento estatístico e a interpretação.

A análise é difícil, complexa, cansativa e demorada.





b) Fechada: são aquelas em que o informante escolhe sua resposta entre duas opções. Este tipo de pergunta, embora restrinja a liberdade das respostas, facilita o trabalho do pesquisador e também a tabulação, pois as respostas são mais objetivas.

c) Múltipla escolha: são perguntas fechadas mas que apresentam uma série de possíveis respostas, abrangendo várias facetas do mesmo assunto.

A técnica da escolha múltipla é facilmente tabulável e proporciona uma exploração em profundidade quase tão boa quanto a de perguntas abertas.

A combinação de respostas múltiplas com as respostas abertas possibilita mais informações sobre o assunto, sem prejudicar a tabulação.


PRÉ-TESTE DO QUESTIONÁRIO

A análise dos dados , após tabulação, evidenciará possíveis falhas existentes:

  • Inconsistência ou complexidade das questões.
  • Ambigüidades ou linguagem inacessível.
  • Perguntas supérfluas ou que causem embaraço ao informante.
  • Questões que obedeçam a uma determinada ordem.
  • Se são muito numerosas.

DOCUMENTAÇÃO INDIRETA

Toda pesquisa implica o levantamento de dados de variadas fontes, quaisquer que sejam os métodos ou técnicas empregados.

É a fase da pesquisa realizada com intuito de recolher informações prévias sobre o campo de interesse.

O levantamento de dados é feito de duas maneiras:

  • Pesquisa documental
  • Pesquisa bibliográfica


Grupo focal

1- O QUE É ?

O grupo focal é uma técnica de avaliação que oferece informações qualitativas.

Um moderador guia grupos, de aproximadamente 10 pessoas, numa discussão que tem por objetivo revelar experiências, sentimentos, percepções, preferências.


Os grupos são formados com participantes que têm características em comum e são incentivados pelo moderador a conversarem entre si, trocando experiências e interagindo sobre suas idéias, sentimentos, valores, dificuldades, etc.

O papel do moderador é promover a participação de todos, evitar a dispersão dos objetivos da discussão e a monopolização de alguns participantes sobre outros.

O assunto é identificado num roteiro de discussão e são selecionadas técnicas de investigação para a coleta das informações.



Universo investigado

Universo da Pesquisa – total de indivíduos que possuem as mesmas características definidas para um determinado estudo


Amostra

Amostra – parte do universo que representa o todo.


Amostra
  • Amostra Probabilística: se todos os elementos da população tiverem probabilidade conhecida de pertencer a amostra.

  • Amostra não- probabilística ou conveniência: sendo formada por elementos que o pesquisador reuniu simplesmente porque dispunha deles, devido a inacessibilidade a toda a população


Técnicas de amostragem probabilística

  • Amostra casual simples: composta por elementos retirados ao acaso da população – sorteio com números aleatórios ou programas de computação específicos.
  • Amostra sistemática: elementos escolhidos não por um acaso mas por um sistema.

EX: em um fichário de hospital, a cada dez fichas clínicas, retira-se a décima.





Técnicas de amostragem probabilística

  • Amostra estratificada: composta por elementos provenientes de todos os estratos da população.

Ex. cáries em escolares. Deve conter, escolares de todas as faixas etárias e de todas as localidades que compõem o município





Técnicas de amostragem probabilística

  • Amostra estratificada:
  • Proporcional: depende do tamanho de cada estrato
  • Uniforme: amostragem do mesmo número de elementos em cada estrato;

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário